Nhô Botequim festeja 7 anos com samba e pratos emblemáticos.

Uma festa completa, com direito a um tour gastronômico por pratos renomados e música de primeira, além é claro de toda atmosfera contagiante que existe num só lugar. O botequim comemora seus 7 anos de história ao melhor estilo Nhô, inconfundível como os paladares produzidos pela casa, algo que está em seu DNA desde o princípio.
O agito começa no sábado, 21 de outubro, a partir das 15 horas, quando acontece a celebração de aniversário. “A ideia é fazer uma grande festa, se possível na rua também, pra receber o pessoal que consagrou o Nhô como um ponto de encontros e de reencontros. É essa marca que queremos transmitir nessa data, com muita descontração, pra que todos se sintam à vontade para festejar com a gente”, afirma Natalia Portes, sócia-proprietária do Nhô.
Para a semana de 23 a 28 de outubro, o boteco preparou um cardápio especial comemorativo, idealizado pelo Badaró. Nessa ocasião, o Nhô oferecerá pratos deliciosos de lugares emblemáticos, Brasil afora.
De Salvador, diretamente do Boteco do França, localizado no icônico e boêmio bairro do Rio Vermelho, sairá a versão do medalhão de avestruz. Do Ponto Chic, um dos bares mais tradicionais de São Paulo, com mais de 90 anos de história, virá o inconfundível bauru de rosbife com queijos fundidos, criado por um universitário frequentador do lugar.
Do Albanos Bar, considerado o dono do melhor chope de Belo Horizonte, resplandecerá o frango à sabará – frango recheado com catupiry, envolto em folhas de bacon, gratinado e regado ao molho de jabuticaba. Do Bar Urca, localizado no bairro carioca de mesmo nome, a irresistível empada de suflê de chuchu com camarão. E do Sul, a provoleta com tomate cereja – queijo provolone fresco levemente grelhado servido com tomate cereja e pão especial.
“É uma forma de homenagearmos diferentes partes do Brasil, fiéis ao nosso estilo de ser, uma cozinha com esse pé bem regional e o com o tempero único do Badaró em pratos que não se encontram em nenhum outro lugar da cidade”, destaca Lucas Nassif, o outro proprietário do Nhô.
O Nhô nasceu em 2010, de um projeto pessoal de Alexandre Villela, o Badaró. O chef uniu as lembranças culinárias da cozinha da avó e a experiência adquirida nos lugares onde trabalhou, como o Buttina, Maní e Mercearia do Francês, para criar um lugar em que os pratos refletissem todo esse sentimento.
Uma iniciativa que foi amor à primeira degustação. O Nhô pegou pelo estômago e arrebatou o paladar dos rio-pretenses. Ficou conhecido e expandiu especialmente pelo seu cardápio de comida com sabores marcantes e incomuns, que muda constantemente.
No começo deste ano o Nhô trocou de mãos para que Alexandre Villela pudesse se dedicar mais à sua linha de produtos. Foi o início da nova gestão, mas o chef mantém os pés (e mãos) na cozinha do Nhô Botequim, assinando o cardápio, além de manter muitos de seus produtos disponíveis à venda no próprio estabelecimento.
O Nhô Botequim funciona de segunda à sábado, das 17 às 00, e tem condições especiais das 17 às 20, exceto sexta-feira.
Uma iniciativa que foi amor à primeira degustação. O Nhô pegou pelo estômago e arrebatou o paladar dos rio-pretenses. Ficou conhecido e expandiu especialmente pelo seu cardápio de comida com sabores marcantes e incomuns, que muda constantemente.
No começo deste ano o Nhô trocou de mãos para que Alexandre Villela pudesse se dedicar mais à sua linha de produtos. Foi o início da nova gestão, mas o chef mantém os pés (e mãos) na cozinha do Nhô Botequim, assinando o cardápio, além de manter muitos de seus produtos disponíveis à venda no próprio estabelecimento.
O Nhô Botequim funciona de segunda à sábado, das 17 às 00, e tem condições especiais das 17 às 20, exceto sexta-feira.